Dirigentes do Sindicato dos Metalúrgicos de Gravataí voltarão a buscar um denominador comum para a questão em nova reunião hoje (28/01)

Terminou sem acordo a reunião realizada ontem entre a dirigentes do Sindicato dos Metalúrgicos de Gravataí (SINMGRA) e a diretoria da unidade da General Motors (GM) no município. O encontro buscava um denominador comum em relação ao pagamento do PPR para os trabalhadores da empresa. As partes voltarão a conversar hoje (28/01).

Com a solução para o impasse ainda distante, o diretor do SINMGRA, Valcir Ascari, não descarta a possibilidade de uma greve. Ele ressalta que se a empresa não sinalizar o pagamento do benefício a paralisação irá ocorrer a partir de segunda-feira (1º/02).

– Nós estamos buscando o que é de direito dos trabalhadores. Insisto que não é justo penalizá-los pela queda da produção, uma vez que fatores externos acabaram gerando esta situação. Estamos negociando desde a última semana para chegar a um consenso, mas a situação é delicada. Faltaram 18 mil carros para que a meta de 2015 fosse 100% atingida, mas, volto a dizer, não por culpa dos funcionários da GM – aponta Valcir Ascari.

Para ele, é claro que a produção foi afetada por decisões da própria empresa, como o lay-oof, em vigor desde o final do ano passado, e os vários day-offs adotados por diversas ocasiões em 2015.

Para reforçar o quadro de ansiedade dos trabalhadores, a GM vai conceder férias coletivas a partir do dia 11 de fevereiro, que se estenderão até o dia 28 do mesmo mês. As atividades deverão ser retomadas no dia 29.

Marcelo Matusiak/Valor Econômico – 28/01/2016