Sindicato Nacional da Indústria de
Trefilação e Laminação de Metais Ferrosos

Filiado a FIESP

Sexta-feira, 19 de Julho de 2019






Associe-se!
Clique aqui e conheça as vantagens

Venda de aço plano por distribuidores do Brasil cai em maio; estoque é maior em 5 anos

Paula Arend Laier

As vendas de aço plano por distribuidores de aço do Brasil recuaram 27 por cento em maio sobre o mesmo mês de 2014, segundo dados do Instituto Nacional dos Distribuidores de Aço (Inda) compilados por analistas do setor. Na comparação com abril, houve queda de 9 por cento.

O Credit Suisse disse em nota a clientes no final da segunda-feira que os números reforçam a visão de seus analistas de que a demanda doméstica continuará a ser um desafio e que ainda não atingiu o piso.

“Como não vemos sinais de uma recuperação acentuada, as estimativas do consenso para 2015 tendem a ser revisadas para baixo”, escreveram os analistas do banco.

Ainda conforme os dados do Inda compilados pelos agentes do mercado, os estoques de aço plano entre distribuidores passaram para 4 meses de vendas em maio, o maior patamar desde dezembro de 2010, ante 2,7 meses um ano antes e 3,7 meses em abril.

“Nós sustentamos uma visão pessimista para as ações de siderúrgicas brasileiras, em razão do ambiente de demanda muito fraca, sem visibilidade de recuperação sustentada e nenhum poder de precificação no Brasil, além de estreiras margens de exportação”, resforçou o Bank of America Merrill Lynch.

Para junho, o Inda prevê uma queda de 5 por cento nas vendas na comparação mensal. Na divulgação dos dados de abril, o Instituto havia estimado uma queda de 10 por cento frente ao mês anterior.

Fonte: Reuters

continue lendo:

Minério de ferro cai de novo; vergalhão tem baixa recorde

Minério de ferro: minério com entrega imediata no porto de Tianjin caiu 3,72 por cento para 62,10 dólares por tonelada nesta terça

Os preços do minério de ferro no mercado à vista da China caíram pelo terceiro dia consecutivo nesta terça-feira, pressionados pela fraca demanda por aço.

O minério com entrega imediata no porto de Tianjin caiu 3,72 por cento para 62,10 dólares por tonelada nesta terça, segundo o The Steel Index (TSI), após ter atingido na semana passada 65,40 dólares, o maior nível em cinco meses.

Os contratos futuros do vergalhão de aço na bolsa de Xangai caíram mais de 2 por cento para bater um recorde de baixa nesta terça-feira, pressionados por uma fraca demanda, que pesou sobre o apetite pelo minério de ferro, sua matéria-prima.

“Os preços do aço na China continuaram a cair, apesar do rali nos preços do minério de ferro no mês passado, limitando a capacidade das siderúrgicas de pagarem preços cada vez mais elevados pelo minério”, disseram analistas do Australia and New Zealand Banking Group, em nota.

Fonte: Exame

continue lendo:

A China vai importar mais minério de ferro em 2015

Como vem sendo debatido constantemente no Portal do Geólogo o cenário do minério de ferro não é tão assustador como muitos analistas pintam.

Com a recente guerra do minério de ferro muitos mineradores tiveram que fechar minas e projetos em quase todos os cantos do mundo.

Até o momento não existem números fidedignos sobre o assunto, mas sabe-se que, só na China, muitas minas foram fechadas. Na Índia, onde o PIB crescerá 7% em 2015, o minério de ferro não mais está sendo exportado, já que o mercado interno é grande consumidor.

Em função destas mudanças na paisagem da commodity o volume de minério de ferro que deixará o mercado em 2015 e 2016 é tido por muitos como superior a 300 milhões de toneladas.

A consequência óbvia deste cenário é que a China, com estoques baixos, vai ter que importar mais para suprir a ausência do minério chinês mantendo os preços nos patamares atuais.

Este é, também, o que o CEO da Vale Murilo Ferreira, acredita. Segundo Ferreira, em conferência na Fundação Getúlio Vargas, o mercado de minério de ferro ainda deverá crescer 3,5% em 2015.

Ferreira acredita que o segundo semestre na China será melhor que o primeiro, graças aos estímulos, reduções de taxas e dos depósitos compulsórios. Ele diz que a produção do minério chinês de qualidade deverá cair de 350Mt para abaixo de 200Mt, o que obrigará a China a comprar mais minério no mercado.

Este cenário de curto médio prazo está em sintonia com os preços do minério de ferro que continuam em alta: o 62% Fe fechou, no Porto de Tianjin a US$65,10, o maior preço desde janeiro.

Fonte: Geólogo

Redação On junho - 16 - 2015
  • Central de atendimento
  • Telefone: (11) 3285-3522 / e-mail: sicetel@sicetel.com.br
Associe-se!
        Clique aqui
Cadastre seu e-mail e receba periodicamente notícias do SICETEL.