Sindicato Nacional da Indústria de
Trefilação e Laminação de Metais Ferrosos

Filiado a FIESP

Sexta-feira, 19 de Julho de 2019






Associe-se!
Clique aqui e conheça as vantagens

Votorantim Metais pede licença para projeto orçado em R$ 215 milhões

Meta é produzir 490 mil toneladas de minério de zinco/ano

Após confirmar a retomada parcial das atividades da planta de matte de níquel em Fortaleza de Minas, no Sul do Estado, a Votorantim Metais, empresa do grupo Votorantim, solicitou licença de operação (LO) à Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) para tocar o projeto Extremo Norte, em Vazante, no Noroeste de Minas, destinado a produzir 490 mil toneladas de minério de zinco já neste ano, mediante investimento de R$ 215 milhões.

O empreendimento está situado no vetor norte do complexo da empresa em Vazante e já contava com licença de operação provisória. Embora a Semad concedeu “sugestão pelo deferimento” da LO definitiva, a secretaria impôs 14 condicionantes para a empresa, todas ligadas a questões ambientais.

O ativo foi adquirido pela Votorantim Metais em leilão de alienação dos direitos minerários da massa falida da antiga Ex-Mineração Areiense S/A, em 2004, quando obteve, assim, os direitos minerários daquela empresa, conforme informou a Semad em relatório.

Ainda de acordo com informações do órgão ambiental, em funcionamento, o contingente médio previsto de mão de obra para a lavra de minério de zinco no projeto é de 181 trabalhadores, divididos entre produção e outras atividades. Todo o pessoal envolvido nas operações de lavra serão funcionários da própria empresa, enquanto os trabalhos de desenvolvimento da mina serão terceirizados.

O minério lavrado pelo método subterrâneo da atual mina da Votorantim será transportado por carretas até a planta da empresa Mina Vazante, também no município. Após o beneficiamento, será realizado o tratamento metalúrgico do zinco na usina metalúrgica da companhia em Três Marias, na região Central do Estado, distante cerca de 300 quilômetros do complexo de Vazante.

O complexo de Vazante é parte do Sistema Três Marias, que compreende a mina Morro do Agudo, no município de Paracatu, no Noroeste de Minas. O sistema abastece a planta da companhia no município da região Central, que tem capacidade anual de aproximadamente 200 mil toneladas de zinco. A companhia conta também com a planta de polimetálicos em Juiz de Fora, na Zona da Mata.

Zinco – Além dos investimentos em Extremo Norte, conforme já informado, a companhia também está investindo R$ 600 milhões na produção de minério de zinco em Vazante. Os aportes serão feitos na ampliação da vida útil do complexo. O projeto compreende obras de acesso a reservas mais profundas de minério mapeadas dentro da área de exploração da mina, conforme informações da empresa. A previsão é de que a vida útil seja ampliada em mais de dez anos com os investimentos.

No final do mês passado, a Votorantim Metais confirmou que vai mesmo retomar parcialmente as atividades da planta de matte de níquel em Fortaleza de Minas. A ideia é usar ativos já existentes para a obtenção de recursos que permitirão a preservação dos demais. O retorno financeiro da operação será através da venda do ácido sulfúrico na concentração de 98%, por meio da fusão do enxofre elementar.

Com base em relatório da Semad, a unidade de fusão de enxofre irá operar continuamente, sete dias por semana, oito horas por dia, consumindo 14 toneladas por hora de enxofre sólido. A capacidade da planta será de 120 mil toneladas de ácido sulfúrico por ano. Para atingir esta produção, a previsão é de um consumo da ordem de 40 mil toneladas anuais de enxofre elementar, matéria-prima para o processo produtivo do ácido.

Ainda conforme a Semad, as novas atividades na planta devem gerar 93 empregos, sendo 75 diretos 18 terceirizados. A contratação dessa mão de obra será feita preferencialmente em Fortaleza de Minas e região, levando-se conta a disponibilidade e qualificação técnica necessária para a operação da plataforma.

A empresa informou anteriormente que há a expectativa de que unidade entre em operação a partir do primeiro semestre de 2015, com objetivo de produzir 100 mil toneladas de ácido por ano. A planta de matte de níquel em Fortaleza de Minas está paralisada há cerca de um ano e meio, desde que as atividades foram encerradas em 25 de setembro de 2013.

Leonardo Francia

Fonte: Diário do Comércio

Redação On maio - 13 - 2015
  • Central de atendimento
  • Telefone: (11) 3285-3522 / e-mail: sicetel@sicetel.com.br
Associe-se!
        Clique aqui
Cadastre seu e-mail e receba periodicamente notícias do SICETEL.