Sindicato Nacional da Indústria de
Trefilação e Laminação de Metais Ferrosos

Filiado a FIESP

Sbado, 18 de Novembro de 2017






Associe-se!
Clique aqui e conheça as vantagens

Metais básicos caem em Londres, mas cobre é sustentado por petróleo

Marcelo Villela

Os metais básicos operam majoritariamente em baixa em Londres nesta manhã, numa sessão de liquidez reduzida em meio ao feriado desta semana na China, mas o cobre avança, favorecido pela recuperação do petróleo. Por volta das 8h15 (de Brasília), o alumínio para três meses negociado na London Metal Exchange (LME) caía 0,09%, a US$ 1.667,50 por tonelada, enquanto o chumbo recuava 0,58%, a US$ 2.061,00 por tonelada, o zinco diminuía 0,53%, a US$ 2.367,00 por tonelada, o níquel perdia 0,50%, a US$ 10.000,00 por tonelada, e o estanho tinha queda de 0,58%, a US$ 19.790,00 por tonelada.

“Os metais básicos estão apenas marcando passo até que os chineses retornem”, comentou Robin Bhar, analista de commodities do Société Générale. Os investidores chineses estão afastados devido a um feriado que se estenderá até sexta-feira, o que tende a reduzir o volume de negócios nos mercados de metais. A China é o maior consumidor mundial de cobre e de outros metais básicos.

Por outro lado, os preços do petróleo avançam mais de 1,5% nos negócios da manhã, após recuarem levemente ontem, favorecendo o cobre, uma vez que ambas as commodities são frequentemente negociadas em amplas cestas nas quais o petróleo tem peso significativo. No horário acima, o cobre subia 0,17% na LME, a US$ 4.798,00 por tonelada, após encerrar a sessão anterior no menor nível em quase suas semanas. Já na Comex, a divisão de metais da bolsa mercantil de Nova York (Nymex), o cobre para dezembro tinha alta de 0,42%, a US$ 2,1760, às 8h41 (de Brasília). (Dow Jones Newswires)

Fonte: Mining.com

continue lendo:

RHI faz acordo para se fundir com brasileira Magnesita 

Marcelo Villela

O grupo austríaco de materiais térmicos refratários RHI anunciou nesta quarta-feira acordo para combinar suas atividades com a Magnesita por meio da compra de uma participação de pelo menos 46 por cento e não mais que 50 por cento mais uma ação da fabricante brasileira de produtos refratários.

A aquisição da fatia de 46 por cento será paga em dinheiro pelo valor de 118 milhões de euros. A transação prevê a emissão de 4,6 milhões de novas ações a serem emitidas pela companhia combinada, a RHI Magnesita. Além disso, uma oferta pública subsequente obrigatória será lançada com a emissão de no máximo 5,4 milhões de ações da RHI Magnesita, o que elevará o total de  novas ações emitidas pela empresa para até 10 milhões.A oferta vai incluir uma alternativa apenas em dinheiro que prevê valor de 8,19 euros por ação da Magnesita.

A operação deve ser concluída em 2017 e a nova empresa será sediada na Holanda, com ações listadas em Londres. O acordo foi acertado pela RHI com os acionistas controladores da Magnesita, a GP Investments e a Rhône. As duas empresas continuarão completamente separadas e independentes até a conclusão do negócio. Como resultado da transação, a GP, maior acionista da Magnesita com 37,7 por cento de participação, vai se tornar acionista relevante da nova empresa combinada e terá presença no conselho de administração, informou a RHI. (Exame)

Fonte: Mining.com

Redação On outubro - 6 - 2016
  • Central de atendimento
  • Telefone: (11) 3285-3522 / e-mail: sicetel@sicetel.com.br
Associe-se!
        Clique aqui
Cadastre seu e-mail e receba periodicamente notícias do SICETEL.