Sindicato Nacional da Indústria de
Trefilação e Laminação de Metais Ferrosos

Filiado a FIESP

Quinta-feira, 23 de Novembro de 2017






Associe-se!
Clique aqui e conheça as vantagens

Consumo e produção de aço laminado são mantidos em baixa durante o 1S16

Durante o primeiro semestre do ano, o consumo regional de aço laminado teve uma queda de 12%, enquanto a produção de aço bruto e a de aço laminado cairam 11% e 7%, respectivamente, versus mesmo período 2015. O consumo regional é abastecido em 33% pelas importações, cuja participação nos mercados locais continua a avançar. A balança comercial da região se manteve negativa, apesar de que em janeiro-junho 2016 o déficit em toneladas diminuiu 35% ante janeiro-junho 2015.

Produção — Aço bruto: em jan-jun 2016, América Latina e o Caribe produziram 28,5 milhões de toneladas (MT) de aço bruto, 11% abaixo do volume registrado em igual semestre 2015. Brasil participou com 52% da produção regional (14,9 MT), mostrando uma contração ano-a-ano de 13%.

Aço laminado: no mesmo período, América Latina produziu 25,1 MT de aço laminado, um volume 7% inferior ao registrado em jan-jun 2015. Brasil foi o principal produtor (10,2 MT), 41% do total latino-americano. México foi segundo (9,3 MT) com uma participação 37%.

Consumo de aço laminado — O primeiro semestre de 2016, o consumo de aço laminado atingiu 31,4 MT, caindo 12% vs mesmo período 2015. Os maiores aumentos no consumo em termos absolutos e percentuais, foram registrados em Peru (80 mil toneladas adicionais, crescendo 6%), Honduras (35 mil toneladas adicionais, crescendo 27%) e Panamá (6 mil toneladas adicionais e crescendo 3%).

Por outro lado, no Brasil o consumo teve uma contracção de 2,8 MT, caindo 24% vs janeiro-junho 2015. Enquanto Argentina, Colômbia e Equador registraram quedas de 10%, 2% e 13%, respectivamente. Do total latino-americano, 53% correspondem a produtos planos (16,6 MT), 46% a produtos longos (14,4 MT) e 1% a tubos sem costura (339 mil toneladas).

Balança comercial: Importações — Nos seis meses de 2016, América Latina importou 10,4 MT de aço laminado, 21% menos do im- portado em janeiro-junho 2015 (13,1 MT). Deste total, 67% correspondem a produtos planos (7,0 MT), 29% a produtos longos (3,2 MT) e 2% a tubos sem costura (192 mil toneladas).

Atualmente, as importações de laminados representam 33% do consumo da região, o que traz um desestímulo para a indústria local, fricções comerciais e põe em risco fontes de trabalho.

Exportações — As exportações latino-americanas de aço laminado atingiram 4,5 MT, incrementando-se 11% com respeito a janeiro-junho 2015 (4,0 MT). Deste total, 53% correspondem a produtos planos (2,4 MT), 39% a produtos longos (1,8 MT) e 8% a tubos sem costura (345 mil toneladas).

Balança deficitária: nos seis primeiros meses de 2016, a região registrou um défice comercial de 5,9 MT de aço laminado. Este desequilíbrio é 35% menor ao observado em jan-jun 2015 (9,0 MT).

Entre janeiro-junho 2016, Brasil foi o único país que manteve um excedente em seu comércio de aço laminado, 1,8 MT. O maior défice se registrou em México (-2,9 MT). Em seguida foi Colômbia (-1,2 MT), Peru (-786 mil toneladas) e Chile (-789 mil toneladas).

A evolução dos fluxos do comercio e saldos são apresentados no Gráfico 02. Produção julho 2016 – Informação adiantada Informação adiantada de julho 2016 indica que a produção de aço bruto atingiu 5,1 MT no mês, 2% mais que em junho 2016 e 6% menos que em julho 2015. O volume cumulado em jan-jul do ano atingiu 33,6 MT, 10% menos do que em 2015. A produção de laminados fechou em 4,4 MT, 2% mais que em junho e 3% menos que em julho 2015. O volume cumulado nos primeiros setes meses do ano atingiu 29,5 MT, 7% menos que em jan-jul 2015.

Perfil —Asociación Latinoamericana del Acero (Alacero) — É uma entidade civil sem fins lucrativos que reúne a cadeia de valor do aço da América Latina para fomentar os valores de integração regional, inovação tecnológica, excelência em recursos humanos, responsabilidade empresarial e sustentabilidade sócioambiental. Fundada em 1959, é formada por 49 empresas de 20 países, cuja produção é de aproximadamente 70 milhões anuais- representando 95% do aço fabricado na América Latina. Alacero é reconhecida como Organismo Consultor Especial para as Nações Unidas e como Organismo Internacional Não Governamental por parte do Governo da República do Chile, país sede da Direcção Geral.

Fonte: Fator Brasil

Redação On agosto - 26 - 2016
  • Central de atendimento
  • Telefone: (11) 3285-3522 / e-mail: sicetel@sicetel.com.br
Associe-se!
        Clique aqui
Cadastre seu e-mail e receba periodicamente notícias do SICETEL.