Sindicato Nacional da Indústria de
Trefilação e Laminação de Metais Ferrosos

Filiado a FIESP

Tera-feira, 26 de Setembro de 2017






Associe-se!
Clique aqui e conheça as vantagens

Anfavea quer flexibilidade do PPE

As montadoras de veículos pretendem convencer o governo a tornar mais flexível o Programa de Proteção ao Emprego (PPE). Segundo o presidente da Anfavea, Antonio Megale, o programa vem ajudando a administrar a ociosidade do setor, porém, há que se discutir alguns pontos. “O PPE é um instrumento muito bom, mas que precisa de aperfeiçoamento”, avalia.

Megale reforça que o governo está aberto a rediscutir o programa, como em casos de parada de produção por falta de insumos. De acordo com o dirigente, neste sentido a lei é “engessada” pois não permite que a empresa entre no regime de horas extras para cobrir o déficit. “Quando discutimos os termos do programa com o governo, não sabíamos que haveria uma fragilização tão grande da cadeia.”

Conforme o Ministério do Trabalho e Previdência Social, seis empresas do setor automotivo estão entre as 23 que tiveram a prorrogação do PPE, incluindo a Volkswagen, cuja adesão nas quatro fábricas tem vigência até setembro deste ano.

DCI – 14/06/2016

continue lendo:

Empregados da construção civil terão reajuste de 10% no Rio

O desconto no contracheque não pode passar de 1% do valor do salário

Os trabalhadores da construção civil no Município do Rio vão receber aumento de 10% sobre o piso salarial este mês. O reajuste é retrotivo a março, data-base da categoria, e a diferença será paga, no máximo, em cinco parcelas a partir do contracheque referente a junho. Com a correção, o piso de meio-oficial e auxiliar de manutenção será de R$1.719,30.

Pelas negociações firmadas, quem ganha salários entre os pisos até R$ 5 mil terá reajuste de 8%. Já as remunerações acima deste patamar terão acréscimo de, no mínimo, R$ 400 fixos. Também ficou acertado que o cartão alimentação será de R$ 240 a partir deste mês.

Os trabalhadores vão receber ainda R$ 25 de valor mínimo do vale-refeição por dia. O desconto no contracheque não pode passar de 1% do valor do salário. Também será de 1% o desconto máximo do vale-transporte no contracheque.

Com a correção de 10%, mestre de obra passa a receber R$ 4.292,20; encarregado de obra, R$ 3.124; encarregado de turma ganhará R$ 2.598. A convenção coletiva passa a valer a partir da assinatura entre o sindicato dos trabalhadores e o patronal. A vigência do documento não precisa aguardar homologação.

Fonte: O Dia

Redação On junho - 14 - 2016
  • Central de atendimento
  • Telefone: (11) 3285-3522 / e-mail: sicetel@sicetel.com.br
Associe-se!
        Clique aqui
Cadastre seu e-mail e receba periodicamente notícias do SICETEL.