Sindicato Nacional da Indústria de
Trefilação e Laminação de Metais Ferrosos

Filiado a FIESP

Segunda-feira, 20 de Novembro de 2017






Associe-se!
Clique aqui e conheça as vantagens

Transações com outros países têm primeiro resultado positivo em 7 anos

O superávit de US$ 412 milhões registrado nas transações correntes com outros países em abril foi o primeiro para o mês em sete anos. O resultado foi obtido graças ao saldo positivo da balança comercial no período analisado.

Com exportações em US$ 15,302 bilhões e importações em US$ 10,655 bilhões, a diferença entre vendas e compras foi de US$ 4,647 bilhões em abril. No quarto mês de 2015, o saldo ficou em US$ 282 milhões.

Enquanto as exportações avançaram 2% na comparação com igual período do ano passado, as importações recuaram 28%. Em 2016, as aquisições de produtos estrangeiros foram derrubadas pela retração econômica e pelo câmbio desfavorável.

Os outros tópicos que compõem as transações correntes também colaboraram, com resultados negativos inferiores aos vistos em abril de 2015. A conta de serviços ficou deficitária em US$ 2,521 bilhões, ante US$ 3,468 bilhões no ano passado. O ramo foi favorecido por gastos menores de brasileiros no exterior neste ano.

Já a renda primária teve déficit de US$ 1,933 bilhão, frente a US$ 3,757 bilhões em abril de 2015. A renda secundária, por outro lado, ficou positiva em US$ 219 milhões. No quarto mês de 2015 foi registrado saldo de US$ 101 milhões. Os dados foram apresentados, ontem, pelo Banco Central (BC).

“As informações do setor externo surpreenderam mais uma vez e vieram bem melhores do que o esperado, mas acabaram tendo menos atenção por causa do cenário político”, afirmou Patrícia Pereira, gestora de renda fixa da Mongeral Aegon Investimentos.

Tulio Maciel, chefe do departamento econômico do BC, também destacou o resultado positivo no setor externo. “Foi uma surpresa, a gente caminhava para isso, mas ocorreu um pouco mais cedo”, avaliou.

Para explicar o superávit, ele mencionou o saldo comercial do período. “Abril é um mês sazonalmente favorável para a balança, mas anda assim foi melhor [neste ano]”, salientou.

No primeiro quadrimestre deste ano, as transações correntes marcam déficit de US$ 7,166 bilhões, bastante abaixo do saldo negativo de US$ 31,941 bilhões alcançado em quatro meses de 2015.

A previsão atual do BC para este ano é de saldo negativo em US$ 25 bilhões. Entretanto, essa estimativa será alterada no próximo mês, adiantou Maciel. “O déficit deve ser menor que isso”, afirmou o executivo, após apresentar os resultados do mês passado.

A mesma avaliação é feita pelo mercado. Pereira, por exemplo, acredita que a tendência para este ano é de saldos negativos inferiores aos projetados no começo de 2016. “Em maio, devemos ter resultado próximo da estabilidade”, acrescentou Patrícia Pereira.

O Itaú Unibanco seguiu a mesma linha. Em nota divulgada ontem, o banco reiterou sua previsão para as transações correntes neste ano. “Apesar do superávit no mês, não mudamos a nossa visão de um pequeno déficit em 2016, em torno de US$ 15 bilhões.”

Cobertura

O investimento direto no País (IDP) também cresceu em abril deste ano. Os aportes de estrangeiros no Brasil foram de US$ 6,820 bilhões, alta de 18% na comparação com igual período de 2015.

No primeiro quadrimestre, o IDP chegou a US$ 23,753 bilhões, o suficiente para cobrir, com sobra, o déficit em transações correntes registrado no período. Entre janeiro e abril de 2015, o investimento de estrangeiros no Brasil foi de US$ 18,925 bilhões.

No mês passado, os aportes em participação no capital ficaram em US$ 4,771 bilhões, ante US$ 4,374 bilhões em igual período de 2015. O investimento via operações intercompanhia somaram US$ 2,050 bilhões, frente a US$ 1,402 em abril do ano passado.

Patrícia ressaltou o aumento dos aportes em abril. “O IDP também tem veio melhor do que o esperado e tem crescido neste ano”, analisou a especialista. Segundo ela, o preço “atrativo” dos ativos brasileiros e a situação econômica “não tão favorável” em outros países favorecem o aumento dos aportes no País.

Financeiro

O investimento estrangeiro em ações brasileiras ficou positivo em US$ 1,581 bilhão em abril. Em igual mês do ano passado, o resultado havia sido maior, de US$ 3,765 bilhões. No ano, o saldo está no azul em US$ 4,482 bilhões.

Já o saldo de aportes em títulos de renda fixa negociados no País ficou negativo em US$ 125 milhões em abril. Em igual mês do ano passado, essas aplicações tiveram saldo positivo de US$ 3,504 bilhões. No ano, o montante é positivo em US$ 7,195 bilhões.

O investimento em títulos negociados no exterior também ficou no negativo (-US$ 794 milhões) em abril.

DCI – 25/05/2016

Redação On maio - 25 - 2016
  • Central de atendimento
  • Telefone: (11) 3285-3522 / e-mail: sicetel@sicetel.com.br
Associe-se!
        Clique aqui
Cadastre seu e-mail e receba periodicamente notícias do SICETEL.