Sindicato Nacional da Indústria de
Trefilação e Laminação de Metais Ferrosos

Filiado a FIESP

Sbado, 18 de Novembro de 2017






Associe-se!
Clique aqui e conheça as vantagens

Por que, apesar da crise, tem recorde na balança comercial?

Exportações: quando as exportações superam as importações e resultado comercial é considerado positivo; do contrário, negativo

Irineu de Carvalho Filho

Nos últimos meses, temos nos acostumado com números cada vez piores para atividade econômica e taxa de desemprego. É natural, então, sentirmos alguma estranheza quando ouvimos que a balança comercial segue melhorando, não?

O resultado da balança comercial é obtido pela diferença entre os valores de bens exportados e importados em dado período.

Quando as exportações superam as importações e resultado comercial é considerado positivo; do contrário, negativo.

No mês de abril deste ano, a balança mostra valor positivo (superávit) de 4,9 bilhões de dólares.

Essa é, justamente, a diferença entre as exportações, de 15,4 bilhões, e das importações, de 10,5 bilhões de dólares.

Trata-se do maior saldo comercial positivo para meses de abril de toda a história brasileira.

Mas, para explicarmos o que isso representa, é importante olharmos todos componentes da balança.

E, aí, a pintura não é só boniteza: apesar da balança comercial positiva, as exportações de janeiro a abril de 2016 ficaram uns 3 pontos porcentuais abaixo dos mesmos números de 2015.

E o que explica esse saldo positivo, histórico e tão expressivo?

A chave para entender esses dados está no desempenho das importações.

Quando comparamos os valores totais dos produtos importados pelo Brasil em 2015 e 2016, entre janeiro e abril, encontramos um recuo de 32 pontos porcentuais.

Resumo da ópera: a balança comercial melhorou não porque estamos vendendo mais, mas, sim, porque estamos comprando menos do resto do mundo – esse é exatamente o movimento esperado numa economia deprimida como a nossa, com desemprego crescente e consumidores sem confiança para consumir e empresários, para investir.

A coisa fica mais clara se olharmos especificamente para os chamados bens de capitais – ou seja, máquinas e equipamentos que poderiam estar aumentando a capacidade nacional de produção.

As importações desses produtos encolheram com mais força que as de os outros itens.

O que isso representa? Menor produção e vagas de trabalho fechadas no futuro.

Fonte: Exame

Redação On maio - 6 - 2016
  • Central de atendimento
  • Telefone: (11) 3285-3522 / e-mail: sicetel@sicetel.com.br
Associe-se!
        Clique aqui
Cadastre seu e-mail e receba periodicamente notícias do SICETEL.