A Comissão de Proteção à Paisagem Urbana entendeu que a Fiesp faz uso ideológico do painel localizado na Avenida Paulista, e sugere impedir a realização da “Galeria de Arte Digital” em sua fachada.

Em entrevista à

Jovem Pan

, Paulo Skaf, presidente da federação, afirmou que ainda não foi enviada uma notificação oficial, mas espera bom senso da prefeitura em não acatar a sugestão da CPPU: “Essa decisão da Comissão, o papel dela é faze recomendação à prefeitura. Ainda não recebemos uma notificação. (…) Quero aguardar o bom senso de não sermos obrigados a retirar a bandeira brasileira nesse momento de puro civismo, nesses dias, nessas horas que o Brasil está vivendo. Espero que a prefeitura não chegue nesse ponto”. A galeria digital, onde foram projetadas imagens e frases favoráveis às manifestações contra o governo, funciona desde 2012 e já contou com 14 exposições de diversos temas.

Skaf defende a tomada da população às ruas e, além de endossar o discurso pró-impeachment, compara a situação do País a um jogo de futebol: “É fundamental que o povo vá às ruas para mostrar sua indignação. (…) Aos indecisos é bom que decidam logo e a favor do impeachment. Vai dar um respiro à nação, dar esperança das coisas recuperarem. É necessário mudar o técnico de um time que não está dando certo”.

Sobre o debate que classifica como “golpe” à tentativa de retirar Dilma Rousseff do poder, Skaf critica a gestão da petista e diz que quem sofreu um golpe foi o País com as políticas praticadas nos últimos anos: “Quem dá golpe na Dilma é a própria Dilma, que está dando golpe na nação brasileira com o governo que está aí. (…) Empresas que pagaram seus impostos e agora fecham as portas, inadimplência aumentando, escândalos de corrupção, esses são os verdadeiros golpes. Quem está tomando golpe é a nação”.

Uol – 13/04/2016

continue lendo: